domingo, 13 de fevereiro de 2011

As peripécias do parto

Na última consulta com a GO (17Janeiro), disse-me que uma vez que as minhas tensões estavam altas nas últimas consultas, que o melhor seria provocarmos o parto no dia  25 Janeiro e também nesse dia ela encontrava-se de urgência no HSJ. Uma vez que eu confiava plenamente na GO e ouvindo as razões que ela me disse, disse-lhe que sim e portanto já me estava a mentalizar para o meu Rafa nascesse então na 3ª Feira. Só que, no curso de preparação para o parto, falei com a enfermeira e perguntei se não havia algo que eu pudesse fazer para que na 3ª feira o parto não ser provocado mas ser desenrolado naturalmente. Ela aconselhou caminhar muito e namorar muito.

Ora, na minha ideia, e como 3ª feira se aproximava, começei a caminhar na 6ª (bastante!!) e namorei muito com o V. no sábado. Bem a parte de namorar foi tiro e queda ehehhehe!! Passados 30 minutos começei a sentir as contrações, por volta das 20 horas de sábado!!  Fui fazer o jantar já com as contrações de 7 em 7 min, portanto já bastante regulares. Não me aconteceu como acontece a muitas mulheres, ou seja, não tive contrações bastante espaçadas como de 30 em 30 min ou de 20 em 20. Começei logo com contrações regulares, aumentado cada vez mais de intensidade e pouco espaçadas entre elas. Jantei, fui fazendo as respirações que aprendi no curso ( e a pensar que devia de ter começado o curso mais cedo para ter feito mais aulas da parte prática). Entretanto o V. queria ver o futebol e eu disse que ia para o quarto porque achava que se me deitasse as contrações passassem com o descanso... mas não. Estava completamente enganada. Começei por apontar a que horas tinha uma contração e se aumentava e diminuia de intensidade. Vi que estavam já com cerca de 5 min entre contrações s cada vez mais aumentava a intensidade!! Por volta das 23h, desci para ir ter com o V. e disse-lhe que as contrações já estavam muito seguidas e que o melhor seria pensarmos em ir para o HSJ. Entre contrações ainda nos riamos os dois e ele sempre a perguntar mas tens mesmo a certeza!! E eu disse que sim, que o nosso filho queria vir ao mundo mais cedo e que portanto ter-me mentalizado que ele iria nascer na 3ª F seguinte não ia acontecer.

Fui tomar banho, confirmei se tinha tudo nas malas, o kit da criapreservação, máquina de filmar, etc e dirigimo-nos para o HSJ. Chegamos cerca da 1 da manhã. Fomos à triagem e claro as tensões estavam altas (155 MAX e 93 min). Colocaram-me no CTG durante 20 min para monitorizarem as contrações e de facto confirmou-se: estava em trabalho de parto!!! Confesso que estava muito mas muito descontraida! Mandei um sms à minha GO a dizer-lhe que estava no hospital e que afinal o Rafa iria nascer antes do previsto. Entretanto fui chamada para ir à médica que me fez o toque e com isso fez uma ruptura na bolsa de água mas não completamente. Resultado estava já com 4 cm de dilatação. Perguntaram-me se queria epidural. Eu disse que ainda aguentava bem as contrações e se poderia ser mais tarde, já que sabia que a partir do momento em que levasse a epidural o parto iria atrasar um pouco. O conselho da médica foi que se quisesse esse era o momento ideal. Disse-lhe então que sim. Doeu-me um pouco a epidural e quando me espetaram a agulha mexi-me como instinto. A enfermeira disse logo que não me podia mexer! Também podia ter dito que ia picar-me não é!!!

Depois estive o resto da noite com os 4 cm de dilatação e ainda dormi até às 7 da manhã. O V. também foi para um cadeirão mas não conseguiu dormir muito... devia de ser da ansiedade!! Entretanto chamei a enfermeira porque as dores já começavam a apertar e ela "renovou" a dose da epidural!! Lá me fez o toque e continuava com os 4 cm.

Por volta das 9:30, 10 da manhã veio a GO fazer o toque. Continuava com 4 cm... eu perguntei logo se não podia ir caminhar para ajudar a fazer a dilatação. Ela disse que não, porque me ia arrebentar com o resto da bolsa de água e portanto teria de ficar deitada.... e por esta altura já estava fartinha de estar deitada. Depois administrou-me a ocitocina para acelerar o trabalho de parto. Por volta das 11:30 fui para o quarto que seria o bloco de parto mas ainda com 5cm quase 6cm. O V. foi almoçar por volta das 12:00 até mesmo para eu puder descansar um pouco. Mas quem é que podia descansar?!?!?! Eu estava farta de estar deitada... queria andar, queria era fazer a dilatação... Por esta altura começava a sentir uma dormência da barriga para baixo, já começava a tremer parecia que estava com frio.

Continuamos nisto até por volta das 15:50 quando pedia à enfermeira parteira que me administrasse nova dose de epidural porque estava com dores mas desta vez mais abaixo. Ela disse que essas dores não mas podia tirar e se eu tinha vontade de puxar... eu sei lá se sentia vontade de puxar... eu estava bastante dormente!!!

Então ela disse que estava a chegar à parte final do parto (após quase 15 horas!!) e que quando sentisse vontade de puxar para fazer força. Eu ia puxando sempre que ia sentido contração mas acho que como estava um bocado dormente e estava a tremer das pernas, acho que não tive muita sensiblidade para puxar no sitio certo... mas lá fui tentando.

Claro que o menino Rafael, sempre do partido do contra desde que soube que ele existia, estava virado ao contrario, ou seja, de cabeça para baixo, encaixado mas virado para o lado direito e para além disso o cordão umbilical era curto. Ora eu puxava e a enfermeira tentava virá-lo lá dentro... bem isso foi a parte pior do parto. Como ainda não conseguia ensinou o V. a empurrar a minha barriga com força para puder ajudar o Rafa a nascer. E ele levou mesmo à letra porque me magoava bastante!!! Às tantas já nem conseguia concentrar-me a puxar tal eram as dores de me empurarem a barriga. Como ainda assim não conseguia que o Rafa nascesse veio uma enfermeira que veio empurrar mas com ainda mais força do que o V.... então aí é que não conseguia mesmo puxar... já não tinha forças... tremia cada vez mais nas pernas... sentia tudo dormente.

Finalmente, depois de muitos empurrões, puxos e uma epsiotomia o meu principe nasceu!!! Confesso que as dores continuaram a ser tantas depois de ele nascer que não dei a devida atenção ao meu filho. Mal pegaram nele reparei logo na sua nuca e realmente tinha excesso de pele mas se Deus quiser não vai ser nada.

Só quando o puseram em cima de mim... ai sim fui invadida por um sentimento tão grande... tão forte... inexplicável!!! Posso dizer que foi nesse momento que conheci o Amor Incondicional!!

Depois de me darem os pontos puseram-no ao meu lado para então começar a mamar. Eu pedi para lhe dar de mamar nos primeiros 30 minutos de vida do Rafa, mas elas só o puseram quando terminaram tudo ou seja 1 hora depois de ele nascer!! Mas pronto... ele (ensinado não sei por quem) pegou bem na maminha e começou logo a mamar. Começou aí um elo muito forte entre nós... uma ligação que só nós a entendemos!!

Aqui ficam algumas fotos para recordar:



2 comentários:

Catarina disse...

Parabéns pelo Rafa. Que corra tudo pelo melhor, felicidades nesta bonita caminhada que é a Maternidade

Risquinho's mumy disse...

So sweet... PARABÉNS!
Tens um filho lindooooooo. Agora aproveita ao máximo todos os minutos com ele.

Amanhã vou regressar ao trabalho... o que é bom acaba depressa!

bj

Enviar um comentário